Primeiramente, peço desculpas pelos breves sumiços que eu tenho dado. Estou no final do semestre da faculdade e está uma correria que só! Em julho e agosto voltaremos com uma frequência normal de posts, juro!

Convulsão Protestante foi um livro que me chamou a atenção logo quando vi a capa, ao ler a sinopse fiquei muito mais interessada nessa obra que parece ir tão além do que conhecemos de livros cristãos. Bom, pelo menos do que eu conheço. Quando recebi o livro da querida editora Mundo Cristão fiquei imensamente feliz e ainda mais curiosa para a leitura e hoje trago a vocês todas minhas impressões dessa obra que sem dúvidas me marcou muito. 

Autora: Antônio Carlos Costa
Editora: Mundo Cristão
Páginas: 256
Ano: 2015
Nota: 4/5 (Muito bom)

Eu nunca tinha ouvido falar no Antônio Carlos Costa até ter seu livro em minhas mãos, mas não precisou eu ler muitas páginas para ficar maravilhada com seu trabalho! Ele é um jornalista, teólogo e pastor da Igreja Presbiteriana da Barra (RJ). Além disso, seu currículo tem muitas outras qualificações e feitos importantes, entre eles está a fundação da ONG Rio de Paz. 

Em Convulsão Protestante eu achei uma visão que há muito tempo eu procurava no meio cristão: uma visão de justiça, mas também de amor ao próximo. O autor começa o livro e passa muitos capítulos baseando biblicamente sua argumentação no livro de Tiago, especialmente os versículos que dizem a respeito da injustiça social, da relação de ricos, pobres e o Reino. 

Eu estava com altas expectativas para o livro desde o momento que o peguei em minhas mãos, porém conforme a leitura foi fluindo, eu me vi cada vez mais impactada. Antônio faz uma análise forte e profunda do mundo em que vivemos, as injustiças e a desigualdade da nossa sociedade, especialmente sobre um olhar para o Rio de Janeiro, as comunidades, as ações do Estado e polícia, e o mundo do crime. 

O livro não conta somente com uma análise bíblica de tudo, mas também traz muitas citações de importantes pensadores, algo que foi muito útil para mim, já que curso Ciências Sociais e pude olhar tanto sobre uma análise acadêmica quanto espiritual. Sua obra conta com apoio nos argumentos de homens como Peter L. Berger, Anthony Giddens, Thomas Hobbes, John Locke e muitos outros autores que eu só fui ter contato quando comecei a graduação. 

O que eu quero afirmar com isso é que a obra de Antonio Carlos é sem dúvidas muito inteligente. Suas análises vão ao cerne da questão e nos faz refletir. Entre argumentos de autores importantes para a Sociologia, História e Direito, e versículos bíblicos que legitimam suas argumentações como um cristão, o autor ainda nos traz diversos relatos reais de pessoas que sofreram com a violência e desigualdade social.  Ele nos mostra uma realidade que muitas vezes fechamos os olhos para não enxergar e não ter que sentir compaixão, mas que existe! 

O mais importante: o autor nos mostra como a política, o amor político, como buscar por um mundo mais justo e de igualdade é bíblico! Fechar os nossos olhos para a violência, para os maus tratos, para as pessoas que vivem em situações desumanas de miséria, completamente a margem da sociedade, é ser completamente contra o Evangelho de Cristo. 


Ao finalizar sua obra, Antônio Carlos não nos fala somente sobre os erros de nossa sociedade e nossos erros, mas mostra também o que podemos fazer para mudar essa situações. Desperta no leitor o desejo de mudança e de amor ao próximo, mostrando diversas medidas e soluções que podemos tomar parte e fazer a diferença. 

Eu não concordei com exatamente tudo que foi dito durante o livro e acho que os outros lados deveriam ser mostrados também, porém isso não fez com que os argumentos e a exposição do autor caíssem em meu conceito. Até porque isso é algo bom, já que nos faz também ter uma leitura crítica. Porém, houveram pontos em que não me satisfez e por isso eu dei apenas 4 estrelas. Além disso, outro motivo para que o livro não tivesse a nota máxima foi por conta de sua narrativa muito densa, que fez com que eu demorasse um pouco mais para ler que o de costume.

Sem dúvidas foi um livro que em muito marcou a minha vida, e que usarei tanto para minha vida espiritual quanto para minha vida acadêmica! Vale muito a pena a leitura! 


tag literária anões branca de neve
Eu adoro tags, já comentei isso aqui com vocês. Mas eu também adoro criar tags. E há muito tempo tive a ideia de cria uma tag onde cada livro seria um anão do filme Branca de Neve e os 7 anões. Estranho demais? Espero que não, hehe. Algumas das relações dos anões com os tipos de livros para responder pode não fazer muito sentido, mas no final está explicando. Espero que vocês se divirtam e respondam também! Vamos lá?

Tag: 7 anões literários
O segredo de Emma Corrigan em inglês, que pretendo ler em breve. 

Feliz - Um livro que te fez rir muito

O Segredo de Emma Corrigan foi o primeiro livro que li da Sophie Kinsella e foi uma ótima surpresa, pois eu ri muito e me diverti horrores, a narrativa é leve e divertida e as situações que a personagem, a Emma, passam são únicas e completamente hilárias. Gostei muito mais desse livro que o próprio Os Delírios de Consumo de Becky Bloom. 

Tag: 7 anões literários Dengoso - Um livro que te emocionou 

A Cidade do Sol foi um dos livros que mais me emocionou, muitas vezes não de forma boa, confesso. É meu livro preferido, me ensinou muito e me emocionou, foi uma leitura às vezes até dolorosa de tão real. Acho que todo mundo deveria ler, aliás.

Tag: 7 anões literários

Dunga - Um livro divertido 

Pegando Fogo!, da Meg Cabot, foi uma leitura bem divertida, embora eu não tenha gostado tanto assim do livro e tal, mas eu tirei boas risadas e foi uma leitura mais leve, que me distraiu e divertiu em alguns momentos. LEIA RESENHA AQUI. ,

Tag: 7 anões literários Soneca - Um livro que te fez querer dormir

Com certeza absoluta A Menina que Roubava Livros, tanto o livro quanto o filme me fizeram querer dormir a cada minuto. Eu tentei ler o livro duas vezes até conseguir concluir e tive que ter muita força de vontade. Sinceramente, eu até entendo porque é um livro tão aclamado, mas eu não gostei do processo da leitura, achei lento e bem cansativo.

Tag: 7 anões literários

Mestre- Um livro que te ensinou algo importante

Vários livros me ensinam algo importante, principalmente aqueles que tem a finalidade de ensinar algo, mas eu vou colocar uma ficção aqui porque senão teria que colocar 500 livros. Extraordinário foi incrível, uma excelente leitura e me ensinou a não julgar as pessoas pela aparência, não se chocar com a aparência de ninguém por mais diferente e "defeituosa" (entre váaaaarias aspas essa palavra, hen!) que seja. 

Tag: 7 anões literários Zangado- Um livro que te fez ficar irritado ou de mau humor

Cidades de Papel foi um livro que me deixou bem irritada (e é raro eu ficar irritada com uma história), mas o desenvolvimento foi tão lento e chato que eu quase pulei as 100 páginas do meio para ir do inicio para o final sem tem que passar por todo aquele lenga-lenga. 

Tag: 7 anões literáriosAtchim - Um livro que fala de alguma doença (sick-lit)

Eu leio várias histórias no estilo sick-lit, que trata de alguma doença e tal. Mas tem alguns em que esse é suspense do livro, onde é revelado no final, então eu os indicando agora seria dar um baita spoiler. E eu não quero indicar aqui A culpa é das estrelas, então vou indicar O Lado Bom da Vida, que trata do transtorno bipolar que nosso protagonista, Pat Peoples, tem, acho legal abordar esse tema especifico pois é raro vermos livros que falem de doenças psiquiátricas também, que afetam muito as pessoas e não é tão bem tratado como foi nesse livro. 
Explicações: Tem alguns que são óbvios, mas outros foi bem dificil, como o Atchim, sei que espirro não é doença de fato, mas foi o mais perto que consegui para uma pergunta da tag; Dunga é outro anão que foi dificil, ele não fala nada, porém é alegre e brincalhão, de um jeito curioso e atento. 

Essa tag foi criada por mim, Aléxia, do blog Flores no Outono. Portanto te convido a fazer em seu blog com muito carinho, vou adorar ver vocês respondendo e curtindo, mas por favor coloquem os créditos, isso seria bem legal ♥ Beijocas!


Se conselho fosse bom, não se dava, vendia.
Você já ouviu isso? Com certeza sim, talvez até mesmo tenha falado para alguém que veio te dizer o que fazer ou não fazer ou como agir diante de uma situação da sua vida. 

Refletindo sobre esse dito popular vejo o quanto ele reflete a imagem da sociedade em que vivemos hoje. Vivemos em um mundo de individualismo e autossuficiência. Nós não precisamos nos importar com a opinião dos outros mais. O que o outro pensa não interfere em nossa vida, pois vivemos para nós mesmos. 

Logo, por que se importar com a recomendação de alguém sobre como você deve viver? Não faz sentido. Não para a maioria das pessoas de hoje. Ouvir um conselho te faz até uma personalidade, fraca. Afinal, você tem que resolver suas coisas sozinhas! Você é forte e não precisa de ninguém te falando o que fazer, não! 

Mas espera aí... Se você é cristão você já ouviu algo bem diferente, não é mesmo? Somos um corpo, o corpo de Cristo, filho do nosso Criador e nosso único Salvador. Olha que importância nós temos! Sim, nós. Eu, você e seu irmão que senta lá no último banco da igreja, assim como o pastor que está lá na frente todo culto. Todos nós temos importância uns para com os outros e, juntos, com para Deus. 

Assim, nós não estamos sozinhos. O que fazemos e como agimos afeta em nossa vida e na vida daqueles irmãos que estão ao nosso redor recebendo a nossa influência. E mais: influencia as pessoas que te tomam como um parâmetro para avaliar a Igreja. Mesmo que você nem perceba. 

Nós, além de termos tanta importância assim, também somos dependentes uns dos outros e acima de tudo do nosso Senhor (1 Coríntios 12.12-26). Então, não somos nada autossuficientes quanto nos ensinaram. Precisamos uns dos outros, precisamos viver em conjunto, como corpo, e precisamos viver em harmonia.
O que isso tem a ver com conselho?’, você pode estar se perguntando. 

Pois bem, o sábio Salomão disse o seguinte em Provérbios 12 versículo 15: ‘O tolo pensa que sempre está certo, mas o sábio aceita conselho’.  

Como podermos ser sábios se não ouvimos conselhos de pessoas que são mais sábias que nós? Como podemos ouvir conselhos – e aceita-los quando certos – se estamos tão arrogantes e tolos, cegos pela nossa independência, achando que somos suficientes e não precisamos de ninguém para nos ajudar? Impossível, né? Esses são os valores que aprendemos hoje. 

O livro de Provérbios inteiro é somente de conselhos. São recomendações dados por Salomão, inspiradas por Deus – afinal, é um livro da Bíblia, a Palavra de Deus – para o povo do Senhor. Nosso Deus quer que sejamos sábios, que sejamos como Ele, pois Ele nos criou à sua imagem e semelhança e ele é a própria sabedoria. Como podemos ser assim se não ouvimos mais aqueles que nos amam e que querem nos ajudar? 



Claro que nem todo conselho se ouve. Muito pelo contrário, devemos ter muito cuidado com o que absorvemos. Muito cuidado com aquilo que praticamos motivados pelas influências de amigos, familiares e até mesmo lideres que se dizem cuidar espiritualmente de nós. 

Mas isso não anula o fato de que o bom e sábio conselho deve ser ouvido. Mais ainda: ele deve ser buscado. Não precisamos passar por situações difíceis sozinhos. Ouvir um conselho de um irmão em Cristo que se importa com você e o ama não é ser sem personalidade, não é que ele também esteja querendo ‘se meter’ em sua vida, te dominar, ditar o que você deve ou não fazer. Sabe o que significa? Que ele te ama com o amor de Jesus. Pois quem nós amamos, nós queremos ver o bem, queremos cuidar, proteger. 

Logo, o conselho vindo do sábio – e somente do sábio – é uma declaração de amor. Como você pode ver seu irmão no erro, sofrendo, sendo oprimido e cruzar os braços e fechar a boca, sem lhe oferecer um conselho, uma recomendação, que pode fazer toda a diferença em sua vida e na situação em que ele se encontra? E como pode você simplesmente não ouvir aquele que só quer te ajudar – e no fundo, você sabe que está certo? 


Qual conselho ouvir?

É óbvio que você não deve ouvir a qualquer pessoa que chega a ti e fala para você fazer algo. Muito menos deve pedir conselhos a quem não confia e que você sabe que nem vive sobre a orientação da Palavra de Deus.

Saber qual conselho ouvir é tão importante quanto abrir seu coração para poder ser disciplinado e discipulado
 

O primeiro ponto é avaliar quem está te dando conselho. Por que você acha que essa pessoa quer te ajudar? Existem pessoas que nos dão conselhos apenas porque o nosso maleficio será bom para elas. Mas, há aquelas que nos ajudam por amor e por quer querem nos ajudar de coração. Busque essa pessoa que reflete a Cristo! 

Partindo daí, é importante entender que o conselho mais importante, e o único que devemos ouvir, é aquele que concorda com a Palavra do Senhor. Nunca escute uma recomendação de alguém que está indo contra a bíblia. Ela é a luz que guia os nossos passos e nos ajuda a chegar até Cristo. Tudo que foge a ela não é de Deus! 

Ouvir um conselho de uma pessoa que teme a Deus e vive conforme os padrões estipulados por Ele é abrir seu coração para uma vida de sabedoria e bons passos. Abandone seu individualismo e autossuficiência. A arrogância que o torna tolo! 



Para não ficar com um texto todo escrito por mim, segue alguns versículos que falam da importância dos conselhos e de como não somos sozinhos, mas um corpo que deve refletir a imagem daquele que nos uniu! 

Ouça conselhos e aceite instruções, e acabará sendo sábio. Muitos são os planos no coração do homem, mas o que prevalece é o propósito do Senhor.  Provérbios 19:20-21
Os planos fracassam por falta de conselho, mas são bem-sucedidos quando há muitos conselheiros.  Provérbios 15:22
O orgulho só gera discussões, mas a sabedoria está com os que tomam conselho.  Provérbios 13:10
O temor do Senhor é o princípio do conhecimento, mas os insensatos desprezam a sabedoria e a disciplina.  Provérbios 1:7
Quem confia em si mesmo é insensato, mas quem anda segundo a sabedoria não corre perigo.  Provérbios 28:26 



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Curso de maquiagem online